domingo, 21 de dezembro de 2008

O Perfume





O odor písceo emanado de vaginas sujas excitava-o sobremodo. Muitas sessões de análise depois, descobriu que tal pulsão era perfeitamente aceitável porquanto natural. Era um homem normal, afinal. Exultante, foi ao supermercado comprar cerveja. Ao passar pela seção de peixes, o aroma agradável do bacalhau exposto acertou em cheio suas narinas. Era véspera de Natal. Hormônios em ebulição, imediata reação. Não pôde impedir o inteiriçamento do pau nem reprimir seus desejos carnais e - agora sabia - normais!
O espanto do funcionário do supermercado deu lugar a uma estrondosa gargalhada ante aquela cena bizarra: o pobre bacalhau descabeçado era impiedosamente sodomizado pelo homem tresloucado, de rosto transfigurado e sorriso desvairado. O homem normal copulava com o bacalhau. O falo teso ardia nas entranhas do salgado animal, oriundo dos mares gelados da distante Noruega. O homem normal gozou no bacalhau. Um gozo normal.

Carlos Cruz - 17/11/2007

2 comentários:

Marcelo disse...

Continuação
(...)

"Mais tarde, o bacalhau se ressentia porque depois de tudo que houve, ele não ligava, não mandava um SMS, não o procurava mais... Tudo em um silêncio gélido dos que trepam por trepar.. dos que cultuam o sexo casual às suas últimas conseqüências.
Homens são todos iguais, chorava o bacalhau em uma lágrima salgada sobre a bancada do supermercado.
.

Abs

Marcelo

Sublog disse...

Pipo de meia-idade, cozinheiro de mão cheia.
Como não tinha uma cara muito boa, fisgava suas fêmeas pelo estômago.
O mais custoso era convencê-las a entrar pelo seu apartamento, sozinhas e de barriga vazia (se bem que aos trinta e tantos de solteirão esperto já estava bem bom de conversa...); mas, uma vez enguardanapados os decotes, se seus bacalhais aos molhos especiais não anzolassem os corações mais resistentes, sempre tinha um vinho tinto que tivesse a manha de dar uma canseira gostosa nas gostosas: e depois era só saber recolher a linha.
Num dia em que acordou pra descobrir a américa, olhava nos fundos dos olhos pros bacalhais da banca, buscando uma química nova para uma morena especial.
Atingido por um trovão epifânico, vislumbrou por sensasões indistintas a vereda pela qual se meteria doravante em suas experimentações culinario-antropológicas: um novo prato especial, que já cheirasse a satisfação.