sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Lingüística I



Paris. Ano 1903. Ferdinand de Saussure, durante a realização de um experimento ilustrativo sobre o uso do caso genitivo em sânscrito, tenta mesclá-lo ao gótico e ao alto alemão. Às cãibras na língua sobrevêm os movimentos involuntários e, por fim, o nó. O rebuliço causado pelo inusitado fenômeno leva os estudiosos a criar uma nova ciência a fim de estudá-lo, à qual, arrazoada e apropriadamente, houveram por bem chamar de Lingüística.

Carlos Cruz - 13/12/2007

Um comentário:

Marcelo disse...

E a partir daí, o mundo nunca mais foi o mesmo...
Passamos a perceber que o que falamos é tão rico quando que vivemos.
Abraços